Foto: Matheus Britto/PJG

ONU enaltece programa de prevenção a riscos e desastres naturais da Prefeitura do Jaboatão

O programa de prevenção a riscos e desastres naturais da Prefeitura do Jaboatão dos Guararapes recebeu destaque, nesta terça-feira (30), durante seminário realizado pela prefeitura em parceria com a Organização das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos (ONU-Habitat), no auditório da Faculdade Tiradentes, em Prazeres. A parceria firmada entre a administração municipal e a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) para troca de informações e experiências foi ressaltada por Paula Zacarias, representante da ONU, que, na oportunidade, ministrou palestra sobre a campanha criada pelo órgão para promover atividades socioeducativas voltadas à busca de estratégias inovadoras para o enfrentamento de problemas urbanos e desigualdades sociais alinhadas com práticas mais sustentáveis.

De acordo com a analista, o objetivo do programa é atuar em prol do desenvolvimento urbano social, econômico e ambientalmente sustentável, com o intuito de promover a moradia adequada para todos. Segundo ela, é importante observar a iniciativa da cidade do Jaboatão dos Guararapes no que diz respeito ao compartilhamento de informações e resultados de ações executadas, a fim de otimizar futuras iniciativas.

“A primeira grande coisa que me chamou a atenção foi o fato de Jaboatão trabalhar em parceria. Assim que chegamos e começamos a conversar, ficamos sabendo que a gestão tem uma boa articulação com a Universidade Federal de Pernambuco. Acho que isso é um grande mérito e é um exemplo que outros municípios não seguem. É normal que outras cidades trabalhem em cima de suas demandas e que não compartilhem isso com outras instituições que são fundamentais nesse processo. Uma faculdade, nesse processo, pode contribuir com mais conhecimento, metodologias e ferramentas”, elogiou Paula.

Secretário-executivo de Serviços Urbanos e Defesa Civil do Jaboatão dos Guararapes, Carlos Alberto ressaltou que um estudo realizado pela Defesa Civil do município apontou que 29,2% do território do Jaboatão está localizado em áreas de risco. “Quando assumimos a gestão, identificamos que Jaboatão é a sexta cidade com maior índice de riscos do Brasil. São 12.200 pontos de risco e aproximadamente 1.700 pontos de alagamento. São números preocupantes, mas estamos trabalhando arduamente para mudar essa realidade”, apontou.

O seminário Construindo uma Cidade Resiliente segue nesta quarta-feira (31), também no auditório da Faculdade Tiradentes, com debates sobre análises dos impactos das mudanças climáticas no ambiente urbano, atuação do Corpo de Bombeiros na redução de riscos e desastres, entre outros temas.

Veja também

Procon Jaboatão promove ação itinerante na semana do Dia Mundial do Consumidor

Para fechar as atividades em comemoração ao Dia Mundial do Consumidor, celebrado nesta sexta-feira (15), …