Prefeitura do Jaboatão cadastra mais de 10 mil famílias no programa de tarifa social de energia elétrica

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Diante do impacto econômico causado pela pandemia do novo coronavírus, o prefeito do Jaboatão dos Guararapes, Anderson Ferreira, realizou o cadastramento emergencial de 10.111 famílias do município no programa de tarifa social da Companhia Energética de Pernambuco (Celpe). A lista com os dados dos beneficiários foi encaminhada à concessionária, nesta sexta-feira (20), para que seja garantido o desconto de até 65% no valor da tarifa para unidades habitacionais com consumo de até 220 kwh/mês, conforme estabelece as Leis Federais de Nº. 10.438/2002 e 12.212/2010.

Têm direito ao benefício famílias com renda familiar mensal – por pessoa – menor ou igual a meio salário mínimo; usuário inscrito no CadÚnico com renda familiar mensal de até três salários mínimos e portador de doença ou patologia cujo tratamento exija uso continuado de equipamento que necessite de energia elétrica para o funcionamento adequado; e inscritos no Benefício de Prestação Continuada (BPC) do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

“Temos a consciência de que a pandemia do novo coronavírus é grave e que seus reflexos devem ser combatidos para evitarmos o pior. Diante disso, montamos uma força tarefa e temos apresentado soluções para os problemas que estão surgindo a cada dia. Incluímos mais de dez mil famílias no programa de tarifa social da Celpe, uma medida que traz impacto imediato no orçamento de quem, nesse momento, precisa focar em necessidades básicas como alimentação e produtos de higiene pessoal. São direitos garantidos por lei e que precisam ser respeitados”, reforçou o prefeito Anderson Ferreira.

A exemplo, uma família cujo consumo médio mensal é de R$ 98,96, a partir do momento da inclusão no programa, com o desconto de R$ 64,25 (65%), o valor pode chegar a R$ 34,60, dois terços da cota básica do Bolsa Família, que é de R$ 89. “Estamos falando aqui de pessoas de baixa renda, que, num momento de crise como a que estamos vivenciando, precisam de todo suporte que o poder público possa garantir”, finalizou Anderson Ferreira.