Técnicos do Recife vêm ao Jaboatão conhecer modelo de coleta seletiva

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Três equipes da Prefeitura do Recife estiveram, na manhã desta sexta-feira (23), na Secretaria de Desenvolvimento Social e Cidadania do Jaboatão dos Guararapes, para conhecer de perto as as ações desenvolvidas no campo da coleta seletiva de lixo no município. A visita é fruto dos bons resultados apresentados pelo programa, que hoje marca apenas 15% de taxa de rejeito (resíduos cujo reaproveitamento ou reciclagem não é tecnológica ou economicamente viável). O número é 35% menor do que o apresentado pela capital pernambucana.

Durante a manhã, representantes do Centro de Referência Regional em Saúde do Trabalhador do Recife (CEREST) e das Secretarias da Mulher e do Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente visitaram cooperativas e conheceram o centro de comercialização, que deve ser inaugurado até o final de abril deste ano. Kelly Salles, coordenadora do programa de coleta seletiva, explica que um dos focos das ações que vêm sendo implementadas é a inclusão e empoderamento de catadores. “Nós observamos que, ao dar suporte às Cooperativas, estamos integrando esses catadores em novas políticas e possibilitando a eles o acesso a uma melhor qualidade de vida”, pontuou.

Entre os objetivos da coleta seletiva está a redução dos impactos ambientais, diminuindo os efeitos nocivos do lixo para o meio ambiente. Entretanto, reciclagem é mais que isso. A esperança no olhar de Rita de Cássia, presidente da Cooperativa Vila Rica, em Jaboatão dos Guararapes, é a prova disso. Ex-catadora do lixão da Muribeca, Rita fala, com riso frouxo, sobre como sua vida mudou desde a posse da atual gestão: “Nos deram oportunidade e espaço. Mal acredito em como minha vida mudou. Eu voltei a estudar, meu filho de seis anos hoje tem condições de fazer balé”.

De acordo com Kelly, este resultado é fruto de um esforço conjunto entre diversas secretarias municipais do Jaboatão, como Desenvolvimento Social e Cidadania, Saúde, Meio Ambiente e Gestão Urbana (Semag) e Educação.

Taciana Leão, técnica de saúde do trabalhador do CEREST, avalia os projetos: “Estamos admirados com a evolução e desenvolvimento do trabalho do município com os catadores e a reciclagem de resíduos. O modelo está realmente de parabéns. Nota-se o quanto a gestão está empenhada e mostra excelentes resultados, inclusive com ações que perpassam a consciência ambiental, voltadas para a saúde de quem trabalha com a coleta, por exemplo. É mais do que um trabalho ambiental, é dar dignidade para uma classe extremamente necessitada”.